Quarta, 01 Dezembro 2021 18:30

Matrículas Abertas para 2022

MATRÍCULAS ABERTAS!
Atenção país ou responsável, as matrículas para o ensino público municipal serão abertas.

A partir do dia 6 de dezembro para renovação e do dia 10 de janeiro para novos alunos. Fique atento e não perca o prazo!!

RENOVAÇÃO: de 06 a 17 de dezembro

NOVATOS: de 10 a 29 de janeiro de 2022

* Procure uma Unidade Escolar mais próxima da sua residência.

VACINAÇÃO CONTRA COVID-19
SÃO FANCISCO - PB

  • Público Alvo: 
    - População de 18 a 59 anos que se vacinaram nos dias 10, 13, 25, 26 e 27 de setembro de 2021;
    - Adolescentes com comorbidades que se vacinaram no dia 26 de setembro de 2021.
  • Data: 02/12/2021 (Quinta)
  • Horários: das 08:00 às 11:00
  • Localidades: TODAS AS UNIDADES DE SAÚDE DO MUNICÍPIO

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:

  • CARTÃO DO SUS
  • CPF
  • RG
  • CARTÃO DE VACINAÇÃO
Quarta, 01 Dezembro 2021 14:00

Prova SAEB 2021

Alô estudante, essa é para você!

Chegou a hora de realizar a prova SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica).

A prova será aplicada na escola João Lopes e Escola Chico Coréa, no dia 7 de Dezembro.

Sua participação é importante!

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO.

Gostaríamos de convidá-lo para participar da Conferência Municipal para a apresentação do Diagnóstico Técnico Participativo do Plano Municipal de Saneamento Básico de São Francisco/PB.

A conferência será realizada no dia 01 de dezembro de 2021, às 09h, no Salão Paroquial da Igreja Sagrado Coração de Jesus, Rua Seledon Pereira Lopes, nº 162, Bairro Centro.

Nesta conferência, serão apresentados e discutidos os estudos de diagnóstico de saneamento básico no município, relacionados à água, esgoto, drenagem e resíduos sólidos. Sua presença é muito importante para o sucesso desta atividade.

Atenção pais ou responsável!

Chegou a hora de receber o Kit Merenda Escolar dos Estudantes do Ensino Municipal.

Confira o Cronograma de entrega com datas e horários. Não esqueça de usar máscara!

  • Público Alvo: Alunos do Ensino Remoto (Maternal, Pré 1 e Fundamental 2)
  • Data: 01/12/2021

  • ESCOLA QUITÉRIA LUNGUINHO

  • Data: 01/12/2021
  • Horário 1: 07:30 às 08:30 - Dois Riachos
  • Horário 2: 08:30 às 09:00 - Duas Lagoas e Prensa
  • Horário 3: 09:00 às 09:30 - Prata, Saco da Prata e Ponta da Serra

  • ESCOLA FRANCISCO SALES GADELHA DE OLIVEIRA (CHICO CORÉA)

  • Data: 01/12/2021
  • Horário 1: 07:30 às 08:00 - Riacho do Meio, Riacho Seco e Cacimbinha 1
  • Horário 2: 08:00 às 08:30 - Viturino, Chabocão, Carnaúba, Pereiro Branco e Pocinhos.
  • Horário 3: 08:30 às 09:00 - Sotero, Paraíso, Tiges e São Pedro.
  • Horário 4: 09:00 às 09:30 - São Francisco

  • CRECHE MÃE ZÓIA

  • Data: 01/12/2021
  • Horário 1: 07:30 às 08:00 - São Luiz, Santo Amaro e Cacimbinha 3.
  • Horário 2: 08:00 às 09:00 - Ramada

  • Uso de Máscara: Obrigatório!

Importante: após a data da entrega, os pais só terão 2 (dois) dias úteis para fazer a retirada do kit!

 

 

 

VACINAÇÃO CONTRA COVID-19
SÃO FANCISCO - PB

  • Público Alvo:
    - População de 12 anos;
    - Pessoas tomaram a 1ª DOSE em 13 e 16 de gosto;
    - Reforço para Idosos com 66 anos ou mais;
    - Reforço para Profissionais da Saúde (com 6 meses que tomaram a 2ª DOSE.
  • Data: 20/11/2021 (Sábado)
  • Horários: das 08:00 às 17:00
  • Localidades: TODAS AS UNIDADES DE SAÚDE DO MUNICÍPIO

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:

  • CARTÃO DO SUS
  • CPF
  • RG
  • COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA (se ainda não apresentou)
  • CARTÃO DE VACINAÇÃO

VACINAÇÃO CONTRA COVID-19
SÃO FANCISCO - PB

  •  Público Alvo: População de 18 a 59 anos (2ª DOSE)
    (Pessoas que tomaram a DOSE 1 em 23, 27, 30 e 31 de agosto). 
  • Data: 26/11/2021 (Sexta-feira)
  • Horários: das 08:00 às 11:00
  • Localidades: TODAS AS UNIDADES DE SAÚDE DO MUNICÍPIO

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:

  • CARTÃO DO SUS
  • CPF
  • RG
  • COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA (se ainda não apresentou)
  • CARTÃO DE VACINAÇÃO
brasaoESTADO DA PARAIBA
PREFEIRURA MUNICIPAL DE SÃO FRANCISCO
Secretaria Municipal de Saúde

PLANO OPERACIONAL DE IMUNIZAÇÃO DA COVID-19
DO MUNICÍPIO DE SÃO FRANCISCO – PB

SUMÁRIO

Apresentação

1.Introdução

2. Objetivo da Vacinação

2.1 Objetivos Específicos

3. População-Alvo

4. Meta de Vacinação

5. Especificação da vacina que será disponibilizada na campanha

5.1 Conservação da vacina

5.2 Esquema de vacinação

5.3 Estratégia de Vacinação dos grupos prioritários na primeira etapa

5.4 Procedimento para administração das vacinas

5.5 Administração simultânea com outras vacinas

5.6 Qualificação dos profissionais dos municípios sobre as orientações técnicas e registros da vacina.

5.7 Recomendações para os vacinadores

5.8 Uso de equipamentos de proteção individual

6. Sistemas de Informação

7. Precauções e contraindicações à administração da vacina

8. Operacionalização da Campanha

9. Referências


 APRESENTAÇÃO

O Ministério da Saúde (MS), por meio da Coordenação-Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI) e do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis (DEIDT) da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), realizará a campanha nacional de vacinação contra a covid-19, de forma gradual, a iniciar em janeiro de 2021. Na ocasião, o início da vacinação se dará pelos trabalhadores da saúde, pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência (institucionalizadas), pessoas maiores de 18 anos com deficiência residentes em Residências Inclusivas (institucionalizadas) e indígenas vivendo em terras indígenas em conformidade com os cenários de disponibilidade da vacina. Esta ação envolve as três esferas gestoras do Sistema Único de Saúde (SUS), contando com recursos da União, das Secretarias Estaduais de Saúde (SES) e das Secretarias Municipais de Saúde (SMS). Com base nisso, elaboramos o Plano Operacional de Imunização da COVID-19 do município de São Francisco-PB que apresenta as diretrizes e orientações técnicas e operacionais para a estruturação e operacionalização da campanha nacional de vacinação contra a COVID-19 no referido município.

  1. Introdução

A covid-19 é a maior pandemia da história recente da humanidade causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2). Trata-se de uma infecção respiratória aguda potencialmente grave e de distribuição global, que possui elevada transmissibilidade entre as pessoas por meio de gotículas respiratórias ou contato com objetos e superfícies contaminadas.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 80% das pessoas com covid-19 se recuperam da doença sem precisar de tratamento hospitalar. Entretanto, uma em cada seis pessoas infectadas pelo SARS-CoV-2 desenvolvem formas graves da doença. Pessoas idosas e/ou com morbidades, a exemplo de pessoas com problemas cardíacos e pulmonares, diabetes ou câncer, dentre outros, têm maior risco de evoluírem para formas graves da doença. É sabido que as medidas não farmacológicas para conter a transmissão do novo coronavírus, que apesar de terem sido fundamentais até o presente momento tem elevado custo social e econômico, tornando- se imprescindível dispor de uma vacina contra a doença.

Considerando a disponibilidade limitada de doses da vacina faz-se necessária a definição de grupos prioritários para a vacinação. Neste cenário os grupos de maior risco para agravamento e óbito deverão ser priorizados. Além disso, no contexto pandêmico que se vive, com a grande maioria da população ainda altamente suscetível à infecção pelo vírus, também é prioridade a manutenção do funcionamento da força de trabalho dos serviços de saúde e a manutenção do funcionamento dos serviços essenciais.

De acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, foram definidos grupos alvo da campanha, a saber: idosos (60 anos ou mais), indígenas vivendo em terras indígenas, trabalhadores da saúde, povos e comunidades tradicionais ribeirinhas, povos e comunidades tradicionais quilombolas, pessoas com determinadas morbidades), população privada de liberdade, funcionários do sistema de privação de liberdade, pessoas em situação de rua, forças de segurança e salvamento, Forças Armadas, pessoas com deficiência permanente grave, trabalhadores da educação, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário, trabalhadores de transporte aéreo, trabalhadores portuários, trabalhadores de transporte aquaviário.

Nessa perspectiva, este documento trata das diretrizes para a operacionalização da campanha de vacinação, abordando a logística do armazenamento e distribuição das vacinas, o registro das doses administradas e a vigilância de possíveis eventos adversos pós-vacinação (EAPV), além de comunicação e mobilização sobre a importância da vacinação.

  1. Objetivo daVacinação

Redução da morbimortalidade causada pelo novo coronavírus, bem como a manutenção do funcionamento da força de trabalho dos serviços de saúde e a manutenção do funcionamento dos serviços essenciais.

  1. 1ObjetivosEspecíficos
  • Vacinar os grupos de maior risco de desenvolvimento de formas graves eóbitos;
    • Vacinar trabalhadores da saúde para manutenção dos serviços de saúde e capacidade de atendimento àpopulação;
      • Vacinar os indivíduos com maior risco deinfecção;
      • Vacinar os trabalhadores dos serviçosessenciais. 
  1. População-alvo

A população-alvo da campanha nacional de vacinação contra a covid-19, mencionadas na introdução deste informe, foram priorizadas segundo os critérios de exposição à infecção e de maiores riscos para agravamento e óbito pela doença. O escalonamento desses grupos populacionais para vacinação se dará conforme a disponibilidade das doses de vacina, após liberação para uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O Ministério da Saúde iniciará a campanha nacional de vacinação contra a covid-19 com um total de 6 milhões de doses da vacina Sinovac (Butantan). Ressalta-se que esta vacina tem indicação de duas doses para completar o esquema vacinal.

1ª Fase

Grupo 1

  • Trabalhadores da saúde 

Trabalhadores dos serviços de saúde são todos aqueles que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, sejam eles hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios e outros locais. Desta maneira, compreende tanto os profissionais da saúde – como médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontologistas, fonoaudiólogos, psicólogos, serviços socais, profissionais de educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares – quanto os trabalhadores de apoio, como recepcionistas, seguranças, pessoal da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias e outros, ou seja, aqueles que trabalham nos serviços de saúde, mas que não estão prestando serviços direto de assistência à saúde das pessoas. Inclui-se, ainda, aqueles profissionais que atuam em cuidados domiciliares como os cuidadores de idosos e doulas /parteiras, bem como funcionários do sistema funerário que tenham contato com cadáveres potencialmente contaminados. (Para o planejamento da ação, torna-se oportuno a identificação dos serviços e o levantamento do quantitativo dos trabalhadores de saúde envolvidos na resposta pandêmica nos diferentes níveis de complexidade da rede de saúde. O envolvimento de associações profissionais, sociedades científicas, da direção dos serviços de saúde e dos gestores, na mobilização dos trabalhadores, poderão ser importantes suporte para os organizadores, seja para o levantamento, seja para definir a melhor forma de operacionalizar a vacinação. Nessa estratégia será solicitado documento que comprove a vinculação ativa do trabalhador com o serviço de saúde ou apresentação de declaração emitida pelo serviço de saúde.)

Fase


Grupo 2

  • Pessoas de 80 anos emais
  • Pessoas de 75 anos a 79anos 

Grupo 3

  • Pessoas de 70 anos a 74 anos Grupo4
  • Pessoas de 65 anos a 69 anos Grupo5
  • Pessoas de 60 anos a 64anos

3ª Fase

Grupo 6

  • Pessoas comcomorbidades

Diabetes mellitus; hipertensão arterial sistêmica grave (de difícil controle e/ou com lesão de órgão-alvo); doença pulmonar obstrutiva crônica; doença renal; doenças cardiovasculares e cerebrovasculares; indivíduos transplantados de órgão sólido; anemia falciforme; obesidade grave (IMC≥40). ( Indivíduos pertencentes a esses grupos serão pré-cadastrados no SIPNI, aqueles que não tiverem sido pré-cadastrados poderão apresentar qualquer comprovante que demonstre pertencer a um destes grupos de risco (exames, receitas, relatório médico, etc.) Adicionalmente poderão ser utilizados os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde. Mantém-se a necessidade de prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina, que deverá ser apresentada no ato da vacinação).

 

Fase

Grupo 7

  • Trabalhadores daEducação

Todos os professores e funcionários das escolas públicas e privadas. (Nessa estratégia será solicitado documento que comprove a vinculação ativa do profissional com a escola ou apresentação de declaração emitida pela escola).

  1. Meta deVacinação

Tendo em vista o objetivo principal da vacinação, de reduzir casos graves e óbitos pela covid19, é fundamental alcançar altas e homogêneas coberturas vacinais. Para tanto, todos os esforços devem estar voltados para vacinar toda a população alvo. Portanto, o município estabeleceu como meta, vacinar pelo menos 95% da população alvo de cada grupo, uma vez que é de se esperar que uma pequena parcela da população apresente contraindicações à vacinação.

  1. Especificação da vacina que será disponibilizada nacampanha

A Campanha Nacional de vacinação contra a covid-19 iniciará com a vacina Sinovac/Butantan.

A vacina desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Butantan é uma vacina contendo o vírus SARS-CoV-2 inativado. Os estudos de soroconversão da vacina Sinovac/Butantan, demonstraram resultados de > 92% nos participantes que tomaram as duas doses da vacina no intervalo de 14 dias e > 97% nos participantes que tomaram as duas doses da vacina no intervalo de 28 dias. A eficácia desta vacina foi demonstrada em um esquema contendo 2 doses com intervalo de 2 semanas. Para prevenção de casos sintomáticos de covid-19 que precisaram de assistência ambulatorial ou hospitalar a eficácia foi de 77,96%. Não ocorreram casos graves nos indivíduos vacinados, contra 7 casos graves no grupo placebo.

  1. 1 Conservação da vacina

Para garantir a potência das vacinas COVID-19, é necessário mantê-las em condições adequadas de conservação, com temperatura controlada, e em conformidade com as orientações do fabricante e aprovação pela Anvisa. A exposição acumulada da vacina a temperaturas fora das preconizadas, ou diretamente à luz, em qualquer etapa da cadeia, gera uma perda de potência que não poderá ser restaurada.

As vacinas deverão ser acondicionadas em temperatura de +2ºC e +8ºC nas câmaras frias/refrigeradas. Referente à preparação da caixa térmica, essa deverá obedecer às recomendações já definidas no Manual de Normas e Procedimentos para vacinação disponível no link: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_procedimentos_vacinacao.pdf 
  1. 2 Esquema de vacinação

A vacina proveniente do laboratório Sinovac/Butantan, deverá ser administrada exclusivamente por via intramuscular em esquema de duas doses, com intervalo determinado conforme segue:

  • Vacina Sinovac/Butantan: intervalo entre as doses, de 02 a 04semanas.

Destaca-se que, em caso de alguma ocorrência que impeça o indivíduo de retornar no prazo determinado, é possível tomar a 2ª dose para completar o esquema.

  1. 3 Estratégia de Vacinação dos grupos prioritários na primeiraetapa

Nesse primeiro momento, a vacinação será realizada com equipes volantes, nos próprios serviços de saúde priorizados para a vacinação, envolvidos diretamente na atenção/referência para os casos suspeitos e confirmados de covid-19.

A vacinação contra a covid-19 exigirá diferentes estratégias, devido à possibilidade da oferta de diferentes vacinas, para diferentes faixas etárias/grupos, levando em consideração a realidade do município.

  1. 4 Procedimento para administração dasvacinas

A administração da vacina será pela via intramuscular (IM), no músculo deltóide, observando a via e dosagem orientadas pelo laboratório. Contudo poderá ser realizado no vasto lateral da coxa caso haja algum impedimento ou especificidade. Outra área alternativa para a administração será a ventroglútea, devendo ser utilizada por profissionais capacitados.

Serão utilizadas para aplicação seringas e agulhas com as seguintes especificações:

  • seringas de plástico descartáveis (de 1,0 ml, 3,0 ml, 5,0ml);
  • agulhas descartáveis de para uso intramuscular: 25 x 6,0 dec/mm; 25 x 7,0 dec/mm; 25 x 8,0 dec/mm e 30 x 7,0 dec/mm. 
  1. 5 Administração simultânea com outrasvacinas

Os serviços de vacinação de rotina deverão obedecer às diretrizes nacionais sobre distanciamento social, tomar medidas rígidas para manter o controle e prevenção da infecção, tratar de forma adequada os resíduos das injeções e proteger os trabalhadores da saúde e o público. Para isso, recomenda- se:

  • Realizar a administração das vacinas em áreas bem ventiladas e desinfetadas com freqüência. Utilizar, de preferência, espaços ao ar livre eamplos);
  • Garantir a disponibilidade de local para lavagem adequada ou desinfetantes para as mãos, pelos usuários;
  • Limitar a 01(um) o número de familiares que acompanham a pessoa que será vacinada, em se tratando de idosos e usuários que necessitem de acompanhante por lei, observando as recomendações de distanciamento social no local da oferta da vacina e na sala de espera, evitandoaglomerações;
  • Realizar a triagem de pessoas que apresentam sintomas respiratórios antes da entrada na sala de vacinação para evitar a propagação do SARS-CoV-2. 
  1. 6Qualificação dos profissionais dos municípios sobre as orientações técnicas e registros davacina.

Os profissionais participarão de capacitações direcionadas às diversas tecnologias que venham a ser incorporadas à Rede, bem como acerca de processos de trabalho, considerando a possibilidade do uso de diversas estratégias para garantia da vacinação.

  1. 7 Recomendações para osvacinadores
  • Realizar a higiene das mãos comfreqüência;
  • Evitar o uso do celular durante o atendimento aosusuários;
    • Monitorarosestoquesdevacinaseinsumos,assimcomoo funcionamento da cadeiafria;
    • Se apresentar sintomas como tosse ou febre, não deve comparecer ao trabalho e deve procurar atenção médica; 
  1. 8Uso de Equipamentos de ProteçãoIndividual

A utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) pelos trabalhadores de saúde envolvidos na Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19, tem como objetivo a proteção destes trabalhadores, bem como a segurança dos indivíduos que serão atendidos pela vacinação. Nesse sentido, seguem abaixo as orientações:

  • EPIs recomendados durante a rotina devacinação Máscara cirúrgica: obrigatória durante todo o período de vacinação, prevendo-se quantitativo suficiente para troca a cada 2-3 horas ou quando estiver úmida;
  • Proteção ocular: Protetor facial (face shield) ou óculos de proteção;
  • Avental descartável para uso diário ou avental de tecido higienizado diariamente;
  • EPIs com possibilidade de uso eventual (somente para situaçõesespecíficas)
  • Luvas: Não está indicada na rotina de vacinação. Dispor de quantitativo na unidade somente para indicações específicas: vacinadores com lesões abertas nas mãos ou raras situações que envolvam contato com fluidos corporais do paciente. Se usadas, devem ser trocadas entre os pacientes, associadas à adequada higienização das mãos. 

ATENÇÃO: Máscaras N95: Não tem indicação para a rotina de vacinação. Seriam de uso muito restrito, indicadas somente para as equipes volantes quando da vacinação em ambientes fechados e de alto risco, como nos estabelecimentos prisionais, somente na impossibilidade / inexistência de área com ventilação.

  1. Sistemas de Informação

Para a Campanha Nacional de Vacinação contra a COVID-19, o registro da dose aplicada será nominal/individualizado. Os registros deverão ser feitos no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI) (em adaptação ao sistema anterior, considerando a interoperabilidade com outros sistemas de informação) em todos os pontos de vacinação da rede pública e privada de saúde.

Será realizado pré-cadastro para alguns grupos-alvo. Caso o cidadão comprove que faz parte do grupo prioritário e não esteja listado na base de dados do público- alvo, o profissional de saúde poderá habilitá-lo no SI-PNI para receber a vacina. A ausência do nome do cidadão na base de dados do público-alvo não deve ser impedimento para ele receber a vacina, desde que comprove que integra algum grupo prioritário.

As salas de vacina que ainda não estiverem informatizadas e/ou sem uma adequada rede de internet disponível, deverão realizar os registros nominais e individualizados em formulários contendo as dez variáveis mínimas das padronizadas. São elas: CNES - Estabelecimento de Saúde; CPF/CNS do vacinado; Data de nascimento; Nome da mãe; Sexo; Grupo-alvo (idoso, profissional da saúde, comorbidades, etc.); Data da vacinação; Nome da Vacina/fabricante; Tipo de Dose; e Lote/validade da vacina. Posteriormente, esses formulários deverão ser digitados no sistema de informação.

Para os Eventos Adversos, as Notificações e Investigações de EAPV deverão ser realizadas no e-SUS Notifica. Esta será a única via de entrada de dados, já acordado entre a Anvisa e a CGPNI.

  1. Precauções e Contraindicações à administração davacina

Considerando que a(s) vacina(s) COVID-19 não puderam ser testadas em todos os grupos de pessoas, podem haver algumas precauções ou contraindicações temporárias até que se tenham mais evidências e se saiba mais sobre a(s) vacina(s) e que seja(m) administrada(s) de forma mais ampla a mais pessoas. Após os resultados dos estudos clínicos de fase III, essas precauções e contraindicações poderão ser alteradas.

Precauções

  • Em geral, como para todas as vacinas, diante de doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se o adiamento da vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença;
  • Não há evidências, até o momento, de qualquer risco com a vacinação de indivíduos com história anterior de infecção ou com anticorpo detectável para SARS- COV-2. É improvável que a vacinação de indivíduos infectados (em período de incubação) ou assintomáticos tenha um efeito prejudicial sobre a doença. Entretanto, recomenda-se o adiamento da vacinação nas pessoas com infecção confirmada para se evitar confusão com outros diagnósticos diferenciais. Como a piora clínica pode ocorrer até duas semanas após a infecção, idealmente a vacinação deve ser adiada até a recuperação clínica total e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas ou quatro semanas a partir da primeira amostra de PCR positiva em pessoasassintomáticas;
  • A presença de sintomatologia prolongada não é contraindicação para o recebimento da vacina, entretanto, na presença de alguma evidência de piora clínica, deve ser considerado o adiamento da vacinação para se evitar a atribuição incorreta de qualquer mudança na condição subjacente dapessoa.

Contraindicações

Uma vez que ainda não existe registro para uso da vacina no país, não é possível estabelecer uma lista completa de contraindicações, no entanto, considerando os ensaios clínicos em andamento e os critérios de exclusão utilizados nesses estudos, entende-se como contraindicações prováveis:

  • Pessoas menores de 18 anos de idade (o limite de faixa etária pode variar para cada vacina de acordo com abula);
  • Gestantes;
    • Para aquelas pessoas que já apresentaram uma reação anafilática confirmadaa uma dose anterior de uma VacinaCOVID-19;
    • Para aquelas pessoas que já apresentaram uma reação anafilática confirmadaa uma dose anterior de uma VacinaCOVID-19;
    • Pessoas que apresentaram uma reação anafilática confirmada a qualquer componente da(s)vacina(s). 

ATENÇÃO: recomenda-se que, antes de qualquer vacinação, seja verificada nas bulas e respectivo(s) fabricante(s), as informações fornecidas por este(s) sobre a(s) vacina(s) a ser(em) administrada(s). Ressalta-se que informações e orientações detalhadas encontram-se no Protocolo de Vigilância Epidemiológica e Sanitária de Eventos Adversos Pós-Vacinação.

  1. Operacionalização da Campanha

A programação municipal para o planejamento da campanha, essencial para alcançar os objetivos da vacinação, será realizada, conjuntamente, com a gestão, APS, Vigilância em Saúde e setores da sociedade civil. Procuraremos identificar as populações prioritárias, definindo as estratégias de vacinação (data, locais), calculando os recursos humanos, financeiros e a logística necessária. O delineamento de ações de vacinação considerará os desafios logísticos e econômicos de se realizar a vacinação em áreas remotas e de difícil acesso.

  1. Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis. Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações. Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19. 1ª ed. 16 de dezembro de 2020. Brasília: Ministério da Saúde, 2020.

 

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde. Departamento de Ciência e Tecnologia. Relatório Técnico – Monitoramento de vacinas em desenvolvimento contra Sars-CoV-2. 30 de outubro de 2020. [recurso eletrônico] / Brasília: Ministério da Saúde, 2020.

Governo da Paraíba. Secretaria de Estado da Saúde. Gerência Executiva de Vigilância em Saúde - Gerência Operacional de Resposta Rápida -. Plano Estadual de Operacionalização da Vacina Contra a COVID-19 /Secretaria de Estado da Saúde, Gerência Executiva de Vigilância em Saúde – Paraíba: Secretaria de Estado da Saúde, 2020.

São Francisco-PB Janeiro/2021

ANNIELLY SOCORRO FERNANDES DA SILVA
Secretária Municipal de Saúde

 

KATIANE PIRES QUEIROGA
Coordenadora de Atenção Básica

INGRID SYLVIA TAVARES
Coordenadora de Vigilância Epidemiológica

 

VACINAÇÃO CONTRA COVID-19
SÃO FANCISCO - PB

  •  Público Alvo: População de 13 anos+ 
  • Data: 10/11/2021 (Quarta-feira)
  • Horários: das 08:00 às 11:00
  • Localidades: TODAS AS UNIDADES DE SAÚDE DO MUNICÍPIO

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:

  • CARTÃO DO SUS
  • CPF
  • RG
  • COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA

Parabéns São Francisco!

Cidade que conquista, povo que acolhe!

Celebrar os 25 anos de São Francisco, de seu povo e de sua história é um filme que passa na cabeça de cada um.

A história imita a arte, de um quadro pintado da mais bela vista do alto do cruzeiro, a liberdade.

Oh minha São Francisco, oh minha Terra Amada!

Página 1 de 5